CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

logo_alegria

 

Ellen de Lima, eterna rainha do rádio, vai vestir a camisa do Alegria Sem Ressa​ca 2018, para ajudar na prevenção ao uso de drogas e abuso de álcool, o objetivo do bloco. Cantora e atriz, prestes a completar 80 anos, a diva vai animar os foliões com sua energia carnavalesca no 15o desfile do bloco promovido pelo psiquiatra Jorge Jaber. O bloco acontece domingo, 28, de manhã, na orla de Copacabana, esquina de Av Atlântica com R República do Peru. Concentração às 9h.

O samba ficará por conta de Adilson da Vila, da Velha Guarda Musical da Vila Isabel.

O Alegria Sem Ressaca será um esquenta para Ellen: ela canta há 20 anos nos três dias de Carnaval no baile da Cinelândia. Nos anos 50, quando surgiu no programa de César de Alencar na Rádio Nacional, já despontou como Rainha do Rádio e, mais tarde, passou a integrar o grupo As Eternas Rainhas do Rádio, ao lado de Carmélia Alves, Violeta Cavalcante, Ademilde Fonseca, Nora Ney, Zezé Gonzaga e Rosita Gonzales. Alguns dos clássicos de sua carreira foram “Canções das Misses”, de Lourival Faissal, “Por Causa de Você “, de Tom Jobim e Dolores Duran, e “Tudo ou Nada”, de Fernando César.

O ex-jogador do Botafogo Mendonça, famoso por aplicar o drible ‘baila comigo’ no flamenguista Junior, também promete cair no samba no bloco Alegria Sem Ressaca. Mendonça, de 61 anos, esteve internado na clínica do médico, especializado em dependência química em Harvard e membro da Associação Brasileira de Psiquiatria, por três meses ano passado se tratando de alcoolismo, por intermédio do amigo rubro-negro Adílio, que também participará do desfile.

O objetivo do bloco, que já teve Zico como padrinho e a participação de outros masters do Flamengo, e este ano contará ainda com 17 integrantes da Pelada Rubro-Negra, é fazer um Carnaval sem abuso de álcool e uso de drogas. Criado na Associação Brasileira de Alcoolismo e Drogas, o Alegria Sem Ressaca sai desde 2004 na orla de Copacabana com participação de dependentes químicos em recuperação, familiares, profissionais de saúde, e adesões ilustres como as de Luiza Tomé, José Aldo, Eduardo Dussek, Teresa Cristina, Edu Krieger, Elisa Addor, e outros.

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn