Clínica Jorge Jaber, 15/03/2005

Objetivo: Demonstrar a importância do psicólogo no tratamento de pacientes internados por transtornos na utilização de substâncias psicoativas, com intervenção não apenas na psicoterapia, mas também na avaliação evolutiva da prescrição psicofarmacológica.

Método: Descreve-se a evolução de alguns pacientes submetidos a programas de tratamento institucional intensivo, essencialmente psicológico cognitivo-comportamental, e a agilidade na detecção de mudanças nas necessidades de intervenção psicofarmacológica, resultante da atuação do psicólogo capacitado na avaliação de sintomas psiquiátricos e com conhecimentos básicos sobre farmacoterapia.

Resultado: O psicólogo adequadamente treinado constitui mais um “instrumento” na avaliação do uso de medicações, assim como da resposta do paciente às prescrições medicamentosas. Resulta, deste contacto estreito entre as equipes médica e psicológica, aumento da aderência dos pacientes ao tratamento farmacológico psiquiátrico e maior seletividade no uso das medicações, o que contribui para a melhora psicológica global do paciente e maior efetividade no tratamento.

Conclusão: O uso de medicações psiquiátricas no tratamento dos transtornos, na utilização de substâncias psicoativas, principalmente em fases iniciais da internação, é, muitas vezes, necessário. O acompanhamento dessas prescrições pelo psicólogo e o desenvolvimento do trabalho interdisciplinar entre psicólogos e a equipe médica parece ser eficaz como instrumento de rápida detecção de mudanças comportamentais, exigindo alterações da abordagem medicamentosa.

CARVALHO, Marcelo C.L., JABER FILHO, Jorge A., ANDRÉ, Charles. A importância do psicólogo na avaliação da prescrição medicamentosa psiquiátrica no tratamento dos transtornos na utilização de substâncias psicoativas. Rio de Janeiro: APERJ, Arquivos Brasileiros de Psiquiatria, Neurologia e Medicina Legal – Vol 98, Nº 02, ABR/MAI/JUN 2004, p.22.