A Clínica Jorge Jaber tem o perfil de trabalho em equipe, onde cada profissional possui seu núcleo de atuação específica, porém, a abordagem dos problemas é que assume uma nova dimensão. Conhecer, compreender, tratar e controlar, passa a ser uma responsabilidade compartilhada. A noção de consulta é superada por outra ação de maior amplitude, que passa a ser concebida como cuidado, uma nova atitude frente aos processos de saúde-doença. Cuidar é ir além da ação de vigilância, é ter uma postura pró-ativa de proteção.

É nesta lógica que a Odontologia vem se integrar a Clínica Jorge Jaber focando no sujeito em sua singularidade, na complexidade, na integralidade e na inserção sócio-cultural; visando sempre a busca da promoção de saúde, bem com na prevenção e tratamento de doenças e na redução de danos ou de sofrimentos que possam comprometer suas possibilidades de viver de modo saudável.

Buscamos nos pautar na promoção da saúde, a qual, respalda as atuais discussões de um novo modelo voltado para a Defesa da Vida, que tem por base:  A qualidade de vida e a consciência das pessoas sobre sua saúde; a definição de prioridades a partir de indicadores  centradas nas populações; os níveis de atenção com fluxos de referência e contra-referência, o trabalho em equipe, a interdisciplinaridade e intersetorialidade e a promoção da saúde por meio da assistência, da participação ativa dos sujeitos e modificação das condições objetivas de vida.

Um dos pilares da Promoção de saúde é a educação em saúde, no nosso caso em saúde bucal a qual fornece instrumentos para fortalecer a autonomia dos usuários no controle do processo saúde-doença e na condução de seus hábitos. Sua finalidade é difundir elementos, respeitando a cultura local, que possam contribuir com o empoderamento dos sujeitostanto em nível individual quanto coletivo, tornando-os capazes de autogerirem seus processos de saúde-doença, sua vida, com vistas à melhoria da sua qualidade de vida.

Neste contexto iremos atuar:

  1. No coletivo

Por meio de palestras abordando

(1) as principais doenças bucais, como se manifestam e como se previnem;

(2) a importância do autocuidado, da higiene bucal, da escovação com dentifrício fluoretado e o uso do fio dental;

(3) os cuidados a serem tomados para evitar a fluorose;

(4) as orientações gerais sobre dieta;

(5) os cuidados imediatos após traumatismo dentário;

 

  1. No Individual

Por meio da assistência

 

São intervenções individuais estimulando o auto-cuidado, intervenções clínicas curativas, ofertadas de maneira a impactar os principaisagravos de saúde bucal. Tais agravos têm sido objeto de estudos epidemiológicos em virtude de sua prevalência e gravidade podemos citar:

1) cárie dentária;

2) doença periodontal –

(a) gengivite;

(b) periodontite;

3) câncer de boca;

4) traumatismos dentários;

5) fluorose dentária;

6) edentulismo;

7) má oclusão.

8) doenças infectocontagiosas orais

9) fluxo e composição salivar alterado (hipossalivação e sialorréia)

Enfatizamos também a manutenção que deve ser instituída como rotina, ter frequência definida pela avaliação da atividade de doença e fatores de risco individuais e ser agendado de acordo com cada situação. Nas consultas de manutenção, as ações educativo-preventivas devem estimular a autonomia no cuidado à saúde.

 

PROCEDIMENTOS ATENÇÃO BÁSICA (Inclusos na adesão mensal)

  1. Exame Clínico-Radiográfico – Exame dos dentes e das gengivas para detecção de cáries e doença periodontal;
  2. Exame Estomatológico – Diagnóstico das principais lesões orais;
  3. Coleta de material para exame Citopatológico ou Biópsia de tecido mole quando indicado;
  4. Sialometria de repouso e estimulada
  5. Tratamento Estomatólogico;
  6. Remoção ou tratamento de fatores retentivos de placa
  7. Adequação do meio – Remoção tecido cariado e restauração com cimento de ionômero de vidro
  8. Tratamento da gengivite
  9. Raspagem supra-gengival
  10. Raspagem e alisamento sub-gengival
  11. Exodontias simples
  12. Restaurações diretas em resina
  13. Selantes resinosos ou ionoméricos
  14. Radiografais periapicais
  15. Emergências Odontológicas
  • Acesso endodôntico
  • Traumas dentários
  • Suturas em região de boca
  1. Profilaxia;
  2. Aplicação de Flúor Gel de acordo com o risco individual;
  3. Instrução de Higiene Bucal (Aconselhamento dietético e Técnicas de escovação);
  4. Utilização de controle químico da placa;
  5. Estímulo ao fluxo salivar;
  6. Promoção, Prevenção e Manutenção da saúde bucal;
  7. Entrega de escova, dentifrício fluoretado e de fio dental (kit de Higiene Oral)

 

OBS: Outros procedimentos de média e grande complexidade como por exemplo tratamento de canal, cirurgias deterceiros molares, dentes inclusos e reabilitação oral protética serão incluídos a parte após autorização do responsável legal.

 

REFERÊNCIAS

 

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde Bucal / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília : Ministério da Saúde, 2008. 92 p. – (Série A. Normas e Manuais Técnicos) (Cadernos de Atenção Básica; 17)

 

MERHY,E.E.,Crise do modo de se produzir saúde: uma discussão do model assistencial e o trabalho médico no Brasil. Campinas: Mímio, ago.,1997.

 

MOYSÉS SJ. O conceito de Promoção de Saúde na Construção de Sistemas deAtenção em Saúde Bucal Coletiva, In: Kriger L, (Coord.) ABOPREV, Promoção de Saúde Bucal, 1. ed., 1997, São Paulo: Artes médicas, p.391.

 

WEYNE SC. A Construção do Paradigma de Promoção de Saúde – Um Desafio para as Novas Gerações, In: Kriger L, (coord.) ABOPREV: Promoção de Saúde Bucal. São Paulo: Artes Médicas, p. 3-25, 1997.