Society for Research in Child Development, 23/07/2004

A idéia que o estado emocional da mulher durante a gravidez afeta o feto tem persistido há séculos e, nos anos recentes, tem sido apoiado pela ciência. Conhecido como “hipótese da programação fetal”, ela teoriza que certos fatores inoportunos ocorridos durante certos períodos sensíveis do desenvolvimento no útero podem “programar set points” em uma variedade de sistemas biológicos da criança. Isso, então, afetaria a habilidade desses sistemas biológicos para mudarem ao longo da vida, resultando em dificuldades de adaptação fisiologicamente e culminando em predisposição a doenças e desordens.