Jorge Jaber, Sylvia Cibreiros, Angela Hollanda, 06/04/2013

O Brasil é um país de dimensões continentais e suas fronteiras aéreas se constituem em locais importantes de entrada de drogas. Neste sentido, os Ministérios da Defesa e da Justiça tiveram a iniciativa criar o projeto denominado Ágata 5, que mediante a atuação da Força Aérea Brasileira – FAB, visa coibir a entrada e circulação de drogas no Brasil através do controle e fiscalização do espaço aéreo à nível das suas fronteiras. Todavia, o Ágata 5, além do trabalho de repressão ao tráfico de drogas, contemplou um trabalho de prevenção ao uso de drogas ao convidar profissionais da área de dependência química à atuarem conjuntamente nesta operação, que foi implementada nas cidades de Porto Alegre, Chuí e Foz do Iguaçu; todas situadas na região sul do Brasil e relevantes em termos de rotas de drogas no Brasil. Deste modo, este Estudo se constitui em um relato de experiência sobre o trabalho desenvolvido por um grupo de 3 profissionais, : Dr Jorge Jaber, psiquiatra, especialista em dependência química e presidente da ABRAD; Profa Angela Hollanda, diretora da ABRAD e Profa Dra Sylvia Alves Cibreiros, professora adjunta da Universidade do Estado do Rio de Janeiro- UERJ; ligados à ABRAD, Associação Brasileira de Alcoolismo e Drogas; junto ao Projeto Ágata 5.
Objetivos:
– Promover orientações sobre ações de prevenção e tratamento da dependência química.
– Orientar quanto ao tratamento do familiar do dependente químico.
– Promover educação à saúde para jovens e crianças.
Metodologia:
Palestras e dinâmicas de orientação sobre temas relativos à dependência química, prevenção e tratamento e hábitos de vida saudável.
Desenvolvimento:
O trabalho de orientação sobre as ações a serem desenvolvidas no sentido da prevenção ao uso de drogas foi apresentado pelo grupo de profissionais da Associação Brasileira de Alcoolismo e Droga – ABRAD, em associação com os oficiais da Força Aérea Brasileira – FAB; que inicialmente explanavam sobre o Projeto Ágata 5; apresentando posteriormente, a equipe da ABRAD. Estes profissionais, atuaram junto à um grupo de gestores na cidade de Chuí, extremo sul do Brasil. Da mesma forma, foram desenvolvidas palestras com os educadores responsáveis pelo “Lar Esperança”, que é uma instituição de cuidados à crianças em situação de risco social, na cidade de Porto Alegre. Neste mesmo local, foi possível interagir com as crianças assistidas na instituição e desenvolver atividades estruturadas em técnicas lúdicas objetivando a promoção de saúde. O grupo também atuou na cidade de Foz do Iguaçu, palestrando para educadores e gestores da área de educação e saúde, assim como abordou temas ligados à saúde junto à grupos de adolescentes que participam do projeto “Guarda Mirim”, que atende jovens em situação de vulnerabilidade social, abrangendo a área de educação e encaminhamento ao mercado de trabalho.
Conclusões:
As ações do grupo de profissionais da ABRAD junto à operação Ágata 5 alcançaram os objetivos propostos ao promover orientações científicas sobre a dependência química, além de outros aspectos positivos, como a possibilidade de implementação de um curso de conselheiros em dependência química fornecido pela ABRAD nas cidades visitadas pelo grupo, com a finalidade de capacitar profissionais para o manejo e tratamento de dependentes químicos; bem como o fornecimento de uma assessoria técnica para questões ligadas à dependência química.

Referências Bibliográficas:
1 – IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Available from: HTTP://
www.ibge.gov.br/ibgeteen/povoamento/constrterrit/extensão_territ.html
2 – II LENAD, Levantamento Nacional de Álcool e Drogas. Available from: HTTP://
www.semsemente.com/tag/lenad/. Acess: January 14, 2013.
3 – Projeto Ágata 5. Available from: HTTP://www.fab.mil.br/portal/capa/index.php?
=mostra 12363. Acess: January 14, 2013.
4- -ABRAD. Associação Brasileira de Alcoolismo e Drogas. Available from: HTTP://
www.abradonline.org.br. Acess: January 15, 2013.